Apenas um Capítulo da Vida

5.5.15

Houve tempos onde nós sentávamos naquele banco de concreto todos os dias e divagávamos sobre a vida.
Falávamos sobre os mais diversos aspectos: você citava filósofos, eu dava a minha opinião... Mas quase sempre quando o assunto era o sentido da vida em si, nós acabávamos ficando meio depressivos ao final da conversa. Então parávamos para falar sobre coisas aleatórias que nos deixavam empolgados, como videogame ou música.
Sentíamos o suave sol da manhã aquecer a nossa pele e a brisa nos tocar, e aquilo era reconfortante. Certa vez você reparou no fato de que o sol acentuava o castanho dos meus cabelos e disse que era bonito de se ver. E eu corei.
Nós tomávamos café todos os dias, era um ritual. E tocávamos violão quando você o trazia. Era mágico, era único, e era eterno... enquanto durou.
Foi ali, naquele banco de concreto, que você se declarou para mim.
E eu não retribuí o sentimento.
E acabou.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Gabriela CZ disse... Responder

Triste, mas muito bonito, Maiti. Como tudo que você escreve.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Belle Bueno disse... Responder

Foi o jeito mais lindo de descrever uma friend-zone '-'
Desculpe o senso de humor, seus textos são ótimos - este está lindo inclusive - mas me lembrou 500 dias com ela, que é um filme que eu adoro e odeio kkk
Um beijo

Postar um comentário

Evite comentários Ctrl+C Ctrl+V, pois os mesmos não serão respondidos. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir a visita! :)

 
© Ultraviolence - 2014. Todos os direitos reservados.
"Listen to the silence, let it ring on."
imagem-logo