Esse tal de Facebook

23.12.13

Estava eu procrastinando pelo facebook quando me deparo com uma postagem de uma pessoa x, que eu conheço bem, falando sobre coisas que não são verdadeiras sobre a vida dela. Um caso claro de pessoas que gostam de viver de aparência. Tipo isso:

Depois disso, vi uma pessoa dando indireta para outra, o que é MUITO comum no facebook, muito mais do que gostaríamos...
Eu nem ligaria, afinal, o facebook é de cada um e cada um faz o que quer da vida. Mas isso realmente começou a me incomodar muito quando percebi que não era uma única pessoa que tinha esse tipo de atitude no meu facebook, mas várias. E muitas delas eu nem sequer conhecia direito. Algumas só de vista. E aí cheguei em outro ponto que também me incomodou demais e me fez indagar: "Por que raios eu tenho essa pessoa no meu facebook?? Eu nem sequer conheço ela!" Ou pior "Eu nem sequer gosto dela."
Aí, pra piorar a situação, além do festival de gente vivendo de aparências e dando indiretas, vi um garoto dando uma indireta pra mim! Eu sabia que era pra mim porque era relacionado a uma coisa que tinha acontecido no dia anterior.
Isso me causou um ódio tão grande por perceber que as pessoas não conseguem mais viver a vida delas de forma privada, mas têm essa necessidade ridícula de expôr até a cor do cocô para os outros, que eu resolvi tomar uma atitude que alguns julgaram como "extremista": Eu desativei meu facebook.
Esse tempo fora dessa rede social foi realmente muito bom para mim. Bom por não ficar pensando "aff, que ridículo" ao olhar postagens na minha timeline; bom por não ter ninguém stalkeando a minha vida... E bom por não passar horas olhando a timeline... E depois a atualizando para ficar mais um tempão olhando até chegar nos posts que eu já tinha visto... E ficar assim por muito tempo: tempo esse que poderia ser usado em outra coisa.
E aí eu levantei a bandeira contra o facebook.
Porém, conversando com a galera da faculdade um dia, resolvemos marcar de sair. E como era bastante gente, não tinha forma melhor de organizar o rolê além de um evento no facebook, já que todo mundo tinha seu perfil lá (menos eu, a antisocial).
E foi por esse motivo que eu retornei ao feicibúqui.


Porém, o meu pensamento sobre o facebook não mudou. Na verdade, ele se adaptou a uma nova linha de pensamento: Que o facebook pode ser sim um lugar para você se irritar, um lugar cheio de gente querendo causar e viver de aparência, etc, etc, etc. Porém, só se você quiser que seja. O facebook é seu, você escolhe suas amizades, e se você não é muito seletivo, obviamente que merdas virão na sua timeline.
Foi pensando nisso que voltei ao face, oh yes, mas dei uma limpada geral na minha lista de "amigos". Excluí mais de duzentos e só deixei quem, de fato, eu considero muito. E adaptei o meu facebook de "popular" para uma rede privada, só com amigos e pessoas que eu considero de verdade.
E eu sei que esse post foi um tanto inútil, mas eu andei pensando sobre isso e resolvi compartilhar com vocês e saber também o que vocês pensam...
Ah, e por falar em falsidade, FELIZ NATAL!!!
Brincadeira. Assim como o facebook, o seu natal você é quem faz, e ele pode ser cheio de falsidade, com você desejando feliz natal para pessoas que você realmente detesta (que podem fazer parte da sua família ou não), ou você dando uma de antisocial, mas passando ao lado de quem você realmente gosta: Seja ele seu melhor amigo, seu namorado, ou o Left 4 Dead .
Brincadeiras a parte, eu desejo a vocês um feliz natal, e, já adiantando, um ótimo Ano Novo, caso eu não poste até o dia 31 (mas eu juro que vou tentar).

UMBEIJO!
Maiti.
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Gabriela Cerutti Zimmermann disse... Responder

Olha, foi um post pra refletir. Realmente cada um faz o seu Facebook, e muitas vezes também não sei porque tenho um. [rs] Nunca tive costume de olhar toda a timeline sempre. O que faço é ver as notificações, talvez atualizar uma fanpage que administro e só. Depois disso só deixo aberto enquanto faço outras coisas, assim se alguém me mandar alguma coisa eu vejo o "numerozinho" lá e vou olhar. Sou mais feliz assim. [rs]

E Feliz Natal! ^^

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Lari. disse... Responder

Poxa, quando é que vou parar de me identificar assim com seus textos? Porque eu simplesmente me identifiquei com sua situação toda! Tipo, desativei meu "Facebook oficial" em julho. Por motivos de:

- ter me irritado com gente falsa;
- ter me irritado com gente falsa;
- e, claro, ter me irritado com gente falsa.

Sério, eu não estava aguentando mais. Nunca gostei de exposição excessiva (por isso tudo que, mesmo sendo desnecessário, preciso 'mostrar para o mundo' eu mostro escondido em algum texto metafórico no blog), nem de indiretas, nem de conversas que depois você sabe que vão ser expostas para outras pessoas. Aí deu. Foi a mesma época que em que eu criei um "Facebook alternativo", só para adicionar alguns leitores do blog que já tinham me pedido a rede social e continuar mantendo a fan page do mesmo.

Só que agora, no final do ano, fica meio ruim afastar totalmente de algumas pessoas. Tipo, meu irmão mesmo logo vai voltar para a faculdade, e não tem jeito mais fácil de manter contato do que pela rede social. Por isso vou ter que retornar com minha "vida oficialmente facebookeira", e voltar a adicionar o pessoal que eu conheço. E acho que, para isso, vou seguir todos os seus conselhos também.

p.s: desculpa o comentário gigante e FELIZ 2014!

Beijos ♥ Jeito Único

Postar um comentário

Evite comentários Ctrl+C Ctrl+V, pois os mesmos não serão respondidos. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir a visita! :)

 
© Ultraviolence - 2014. Todos os direitos reservados.
"Listen to the silence, let it ring on."
imagem-logo