Palavras sobre a Falta de Palavras

25.7.13

Me peguei numa noite muito fria querendo escrever alguma coisa. Mas o quê?
Meus dedos tamborilam pelas teclas do notebook sem pressioná-las o suficiente para que as palavras saiam na tela. Parecia que eu escrevia palavras de nada. Palavras ao vento. Palavras que, de fato, não eram palavras.
Tomo um gole de chocolate quente e penso: "Que tal o amor?" Nessa noite fria e solitária, não seria incomum o desejo de uma companhia agradável a quem eu pudesse dividir meu chocolate e que pudesse me tirar toda atenção da tela do notebook.
Mas nesse momento, estranhamente, não é isso o que eu quero. Não quero o amor. Não agora.
E se eu escrevesse sobre a insegurança? A insegurança que nos deixa passar momentos cruciais de nossas vidas, que nos tira chances que não voltam nunca mais. A insegurança que pode nos fazer perder empregos, vacilar em entrevistas, deixar o amor de nossas vidas ir embora...
A negatividade do tema me faz tremer. Tomo outro gole de chocolate e apago essa ideia da cabeça.
Então vou escrever sobre a vida! Poderia falar sobre os diversos aspectos da vida, sobre as dificuldades e as alegrias, as perdas e as incertezas, os ganhos e ambições, talvez até sobre a morte...
Desisto da ideia ao perceber que é um tema muito complexo para ser tratado numa noite como essa, enquanto meus dedos quase congelam e tudo o que eu mais quero é escrever sobre algo simples, mas digno de ser escrito. Sobre algo que não ocupe muito a minha mente com questões perturbadoras. Sobre o nada e coisa nenhuma.
E, sem perceber, escrevi um texto justamente sobre isso:
Sobre a falta do que escrever.

Maiti.
Comentários
7 Comentários

7 comentários:

Anônimo disse... Responder

Você escreve bem até mesmo quando lhe falta sobre o que escrever. ;D

Thami disse... Responder

Adorei o texto! E as vezes me sinto assim como você, não tenho o que escrever mas quero escrever e as palavras acabam saindo sem eu perceber.

xx,
www.likeparadise.com.br

Lola Mantovani disse... Responder

Adorei, as vezes nem estamos com pretensão de escrever e acaba saindo do nada um texto pronto.
beijos

Leandro de Lira disse... Responder

Oi!
Hm... Muito interessante o texto.
Pude absorver e compreender a intenção de cada palavra.
Gostei. (':
Abraço!

"Palavras ao Vento..."
www.leandro-de-lira.com

Gabriela Cerutti Zimmermann disse... Responder

Olha Maiti, até escrevendo sobre "nada" você arrasa. Adorei esse texto a falta do que dizer. E até me identifiquei um pouco.

Abraço!
http://constantesevariaveis.blogspot.com.br/

Karla Cunha disse... Responder

Você escreveu sobre o nada e deu certo! :P
as vezes a gente tá assim, né? Nada flui. Nada nos agrada.
Passo por isso sempre :/

Um beijo
www.fizdecanetinha.com

Anônimo disse... Responder

O melhor de escrever sobre o nada é que você escreve, escreve, e escreve, e quando vê escreveu sobre tudo, menos sobre o nada.

Postar um comentário

Evite comentários Ctrl+C Ctrl+V, pois os mesmos não serão respondidos. Não se esqueça de deixar o link do seu blog para que eu possa retribuir a visita! :)

 
© Ultraviolence - 2014. Todos os direitos reservados.
"Listen to the silence, let it ring on."
imagem-logo